Jabazeiros questionam anonimato… Vale tudo para continuar mamando

Alguns leitores e jornalistas questionam o fato do autor deste blog preferir manter o anonimato, escondido pelo pseudônimo. Já li que, uma pessoa que defende a ética, precisa mostrar a cara.

Balela. O anonimato e o pseudônimo são procedimentos perfeitamente compatíveis com o propósito deste blog. O autor dos textos é irrelevante. Aqui, as informações se sustentam sozinhas.

Se querem derrubar o ‘Jabá, não’, que venham dizer que os emails e listas que eu reproduzirei aqui são inverídicas. Por que não tentam? Ou que argumentem de outra forma, provando não é imoral aceitar agrados de partes interessadas em influenciar a cobertura.

A verdade é que, para o jabazeiro, vale tudo para continuar mamando.

Anúncios

31 Responses to Jabazeiros questionam anonimato… Vale tudo para continuar mamando

  1. Jabá sim! disse:

    fofa
    que coisa mais antiga esse seu modo de pensar. das duas uma: ou você é de veículo com prioridade zero para qualquer empresa (frustradinho do jornal da esquina, coitado) ou ainda acredita em jornalismo puro no melhor estilão do sindicato. filho, cresce, isso morreu faz tempo. hoje somos todos peões numa partida que não dá pra vencer.
    relaxa e goza, fofa.

  2. Cássia A. Silva disse:

    Caro não-jabazeiro,
    Atuo na área há muitos e muitos anos, mas não sou jabazeira (nem doadora, nem alvo). Mas me intriga saber quem é vc, pois já vi gente reclamando do jabá alheio, simplesmente por não estarem na lista de “convidados”.

    Há quem elogie produtos e empresas por estarem em uma lista de agrados, mas já vi muita matéria negativa feita por gente que viajou a convite de empresa, por quem pegou produtos emprestados para testes e até por quem já ganhou excelentes presentinhos… especialmente sobre lançamentos das ind. automobilística e de tecnologia.

    Abs,
    Ah, esqueci de dizer que o que mais me espantou não foi vc condenar os jabás e jornalistas. Confesso que me senti um tanto irritada por vc chamar um lugar tão bom de “lata de lixo”!
    sds

  3. Pedro Marques disse:

    Cara, seguinte: sou jornalista, já viajei de jabá, já publiquei matéria desfavorável e já nem publiquei matéria, quando achei que era o caso. Já faz uns bons anos que não sei o que é isso e não me faz falta. Acho até válido o senhor(a?) ter o trabalho de mostrar como funcionam os bastidores para o grande públcio e questionar a ética no jornalismo. Mas, de fato, é preciso mostrar a cara. Até para que o público possa entender quais são as suas motivações. O blogueiro é uma nobre alma dedicada a eliminar esse “problema” do jornalismo? Quais são suas motivações? Se você quer fazer esse movimento ter algum valor, é bom assinar seu nome embaixo, camaradinha… passar bem.

  4. Santa Claus disse:

    Cara,

    O slogan do teu blog está errado. porque os jornais já indicam nas matérias quando uma viagem é feita a convite. Na Folha e no Estado elas costumam vir em negrito, inclusive.

    Se você é contra o jabá, tudo bem… Mas se ainda não se ligou que os jornais já escancararam que aceitam jabá, está atrasado.

  5. Sou amigo. E se não fosse, não gastaria meu tempo aqui. disse:

    Você escreve bem. Poderia usar sua escrita para assuntos melhores. O jabá é apenas um agrado, que significa: obrigado por vir, aceite essa lembrança. É apenas questão de educação, cortesia, de mostrar disponibilidade. Mesmo porque ninguém vai se vender por ganhar um pen drive ou um almoço. Se você acredita nisso, é porque você o faria.

    Levar jornalistas à viagens é interessante sim. Ou você acha que ficar trancado na redação vai te trazer criatividade e conhecimento suficiente para escrever um bom texto? Você liga seu cérebro na porta de rede do PC e faz download de todas as informações possíveis?

    Como eu disse, você poderia escrever sobre outros assuntos. Está perdendo um grande tempo, colega. Você deve ser novo(a), pois está lhe faltando discernimento. Torço para que você encontre seu caminho e rápido. Pois no mundo de hoje, com as pessoas em busca de informações, logo seu blog será esquecido (coisas ruins não duram muito tempo, as pessoas se cansam). E você verá que perdeu muitas oportunidades nesse tempo que ficou escrevendo bobagens.

    Eu, por exemplo, não virei mais aqui. Não me interessa sua resposta sobre meu comentário. E da mesma forma que você se justificou sobre anonimato, aproveito sua explicação para ficar anônimo também. É justo, certo? VAI PROCURAR TRABALHO DE VERDADE OU FAÇA ALGO PARA SEU PRÓPRIO BEM.

    Bom, agora você deve estar pensando quem é seu amigo e te escreveu isso. Percebeu a grande desvantagem de ser anônimo?

  6. numaceitojabatb disse:

    o duro é passar por ‘besta’ entre os coleguinhas por não aceitar jabá… é o fim da picada, inversão total. dou mó apoio pro blógue e, se souber de algum trem da alegria, faço questão de te mandar!!!!

  7. Aloisio de Oliveira disse:

    Incrível, ainda defendem jabás? Ah, quer dizer que viajar é bom para arejar a mente, estúpido? então pague suas contas e viaje. ninguém vai se vender por ganhar um almoço? eu pago maus almoços. nenhum problema em ganhar um pendrive? eu não preciso de um, eu já tenho. e tudo pago por mim.

  8. antijabacule disse:

    Caro “Sou amigo. E se não fosse, não gastaria meu tempo aqui”… Sinceramente, não tenho curiosidade em saber quem você é. Eventualmente seu nome será listado em algum rol de jabazeiros, e só.

  9. henrique disse:

    parabéns pelo site de humor. adorei. e pelo estilinho manjado de texto, eu acho que sei quem você é (por acaso, um ex-jabazeiro que, por política da editora que finge não aceitar jabás – vide o núcleo das revistas femininas, que finge ignorar a proibição – já aprontou poucas e boas, porém memoráveis, histórias em viagens pelo brasil e pelo exterior.
    voltarei sempre pra dar boas risadas.

  10. antijabacule disse:

    Henrique, além de péssimo jornalista e mestre da arrogância e do marketing pessoal, agora assume o posto de defensor dos jabazeiros. Continue a nos prestigiar. E como está a vida de “semi assessor de imprensa”, fingindo fazer jornalismo mas promovendo a Apple?

  11. henrique disse:

    bruno! que ótimo que você lembra de mim! lembranças à família. continue assim, logo logo você vai ser melhor que o ressaca moral em humor na web.

  12. Fernanda disse:

    Sabe o que eu acho mais divertido? Você adora falar mal do comeu, bebeu (bem), lambeu, deu em cima, etc, e também acha digno falar dos outros, mas não admite que falem de você… Filho(a), um pouquinho de terapia não ia te fazer mal…

  13. antijabacule disse:

    Senhora Fernanda, minha terapia é aqui mesmo. Você não sabe como eu me sinto leve ao ver jabazeiros de marca maior defenderem suas migalhas a troco de jogar no esgoto a credibilidade de uma profissão. Passar bem.

  14. Cássia A. Silva disse:

    Hahahaha. Isso aqui tá muito divertido! Este blog é o máximo!

    Acho ótimo que a gente acabe com promotores de eventos, feiras, assessorias de imprensa, agências de publicidade e departamentos de Marketing. Merchan, então, nem pensar – argh!

    Se progredirmos com esta proposta, poderemos colaborar com o desemprego em todas as áreas de comunicação. Por mim, beleza, pois além de ter formação completa em Comunicação, também sou técnica em arquitetura e programadora (tks God!).

    E viva Cuba e a China, que não têm tradição de investir em marketing, muito menos de distribuir jabá (se bem que deram uma sacola cheia de jabás para todos que esteveram na abertuda da Olimpíada – hehe).

    Obs.:
    Bruno, li sobre seu blog em um comentário do blog da Folha. Aliás, dizendo que ninguém aceita jabá nem viagem por lá – rsrsrssr.

    Ah, be careful!!! Se seu blog tiver muitos acessos, pode ser que alguém te faça uma proposta de parceria ou patrocínio…

  15. Robinson disse:

    Você está entrando em terreno delicado. E tem as seguintes alternativas: apontar o dedo para os demais colegas de profissão – nesse caso, você estará praticamente sozinho -; ou elevar o tom da discussão, relacionando a prática do jabá com seus pretensos efeitos – influenciar a prática jornalística. Talvez você tenha aí, de graça, um bom tema para um Mestrado: será que o lobby dos que são (ou querem ser) notícia realmente interfere no conteúdo jornalístico? Em caso afirmativo, qual é seu alcance e sua eficácia? Você deverá então categorizar o jabá em presentes, viagens, almoços. E subcategorizar cada um – afinal, um pen drive oferecido como porta-imagens de um press kit não tem o mesmo efeito de um pote de camarões frescos, como o que Collor mandava levar de Alagoas a Evandro Carlos de Andrade, da TV Globo, se não me falha a memória da leitura do livro de Mario Sergio Conti. Diferentes níveis de comprometimento podem ser encontrados também entre um repórter que viaja para cobrir um evento e outro que pede à assessoria da montadora desconto de 30% na compra de um carro novo, ou um carro de luxo emprestado para aquele fim de semana em Ilhabela. Mas o ponto que quero chegar é: em que nível esses diferentes lobbys comprometem as notícias que lemos? Meu palpite é que essa abordagem pode, sim, influenciar a cobertura em termos de “agenda setting” – afinal, foram gastos tempo e recursos para aquela cobertura. Mas talvez uma análise criteriosa do viés dessas matérias poderá surpreendê-lo, e meu palpite é que a oferta de jabás relacionados à própria atividade jornalística não determinam o viés do que será publicado. Se você realmente for estudar isso, talvez o resultado da pesquisa poderá revolucionar o modo como as agências de comunicação praticam seu lobby. Que, de resto, é parte do jogo – das definições da profissão que já vi, a que mais gosto é a que diz que ser jornalista é “manter a dignidade sob pressão”. Você tem que lidar com isso, não ignorá-lo. E isso é o desafio – e problema – de cada um. O resto é conversa fiada.

  16. Bruno Ferrari disse:

    Nêgo,

    vou parafrasear o colega: gaste seu tempo com outro assunto. Além de manjado, tem pouco pano para a manga. Em breve esse blog morrerá. Antes de mudar para uma editora que tem como política não aceitar (e eu nem vou entrar nesse mérito porque nao sou bobo e também não tenho saco), sempre aceitei os tais agrados e viagens. Isso não influencia em nada, se você tiver o mínimo de decência.

    Com todo o respeito ao seu esforço

    abs

  17. garotão disse:

    o dono deste blogo ressentido e saudoso dos jabás é o Bruno G (não o F, que já foi xingado, coitado!). é um moço famoso por testar produtos de modo errado, entrevistar pessoas e publicar o contrário que elas falaram, passar cantada em assessora de imprensa.

    Nosso menino B.G. xinga o jabá, mas já viajou de graça pra San Francisco, Las Vegas e outros recantos deste mundão sem fim – já voou até de classe executiva a convite.

    e abastece seu blog na revista com fotos – heresia das heresias – tiradas de pen drives que ele ganhou como press-kit.

    e agora, sr. antijabá, como se explica? a culpa foi do chefe?

  18. antijabacule disse:

    Caro Bruno Toro Rosso, suas palavras evidenciam sua indecência. “Sempre aceitei os tais agrados e viagens” é suficiente para conhecê-lo. “Isso não influencia em nada” é o que você pensa. As pessoas que te dão de comer certamente estão rindo de você.

    Ao garotão: obrigado por entregar mais jabazeiros. Eu adoro esse box de comentários, porque vocês se matam sozinhos e se entregam uns aos outros, ha ha ha

    Por favor, mendiguem um pen drive ou outra bobagem qualquer com as assessorias, por favor.

    abs

  19. Cássia A. Silva disse:

    Bruno Ferrari,
    Se um dia vc sair de seu trabalho, terá emprego garantido e, com toda certeza, até para escolher. O problema é que, caso o sr. Antijabaculê (este nick requer acento!!!) saia da Abril, ninguém vai querer contratá-lo. Por isso ele tem de manter o anonimato…
    😉

  20. Bruno Ferrari disse:

    Bruno Toro Rosso… Pelo menos das piadas que aguentei no decorrer da vida (“Bruno Minardi”, “Bruno Katayama”), Bruno Toro Rosso é inédita.

    “é suficiente para conhecê-lo” – que bom que me conheceu, é um prazer!

    Cássia. Obrigado pelos votos. rs

  21. Velho, daqui a pouco você não precisa mais postar, é só publicar os comentários e deixar os jabazentos se matarem… kakakakakaka

    []’s
    Compulsivo

    P.S.: Sim eu uso um pseudônimo!

  22. Fernanda disse:

    Cara, não é questão de se matar. Colega, já vi você ganhando câmera em sorteio. Sei que aceita press kits em pen drive. E duvido que sua mesa seja recheada apenas de canetas Bic compradas na papelaria da esquina. Se você acha que isso que você já fez e faz é feito por você com bom senso, dê crédito a outros colegas que agem como você e continuam íntegros.

  23. antijabacule disse:

    Fernanda, continue fazendo figas nos sorteios da esmola da assessoria. Quem tem integridade acaba conquistando espaço e tem capacidade para comprar seus próprios gadgets.

  24. Renato disse:

    Só o Robinson engranadlhou o nível do debate aqui…incrivelmente, os jornalistas somos incapazes de discutir algo seriamente sem partir para o achincalhe como argumentação.
    O Valdo Cruz, da Folha, está em Oslo a convite do governo norueguês. De lá, fez matérias sobre a política daquele país em relação ao petróleo. Isso é jabá? A matéria é enviesada pró-Noruega?

  25. Renato disse:

    Ah! Bruno G, pare com esse anonimato ridículo. Agora td mundo sabe que vc é o autor deste blog não-diário e provavelmente efêmero. Dê as caras e, ao menos, tente fazer disto aqui uma plataforma de debate. Ou encerre esta pantonímia de uma vez!

  26. antijabacule disse:

    Renato, não interessa quem é o autor deste blog. Não faz diferença. E este blog está aberto, podem debater à vontade. Por favor, continue torcendo para ele ser efêmero. Os incapazes sempre torcem para que os adversários não compareçam à luta, geralmente é o único jeito que eles encontram para vencer.

  27. Gaúcho disse:

    Antijabacule,
    _Mete o pau nesses “filhos da mãe vendidos…tomara que a mãe deles nunca precise dos remédios encarecidos pelas recompensas que eles ganham, nem que o pai deles precise comprar um carro novo para trabalhar de taxicista…aí, eles se arrependerão de terem sido coniventes ao longo de toda esta “pouca-vergonha-natural-para-intelectuaiszinhos-vendidos”…

    Ps. São capaz de vender a própria mãe no Jornal!!!

    Segue, que o gaúcho tá contigo e não abre…

  28. jabanunca disse:

    Anonimato justificado. Se voce disser quem é pode sofre retaliações de jabazeiros irritadinhos. Eu trabalho com alguns jabazeiros. VAgabundos, limitados, incompetentes mas que se vendem como ninguém. Fazem a linha pseudo-intelectual mas mal cozinham (e mal) os releases por um prato de comida em restaurante que nunca entrariam com a merreca que não fazem por merecer. Cobrem qualquer pauta sem nexo ou sem a menor reflexão sobre o objetivo do próprio veículo que os empregam a troco de uma viagem de quatro dias, sendo dois em no avião.
    Mostrar a cara nessa situação pode sair caro. E os inquisitores jabazeiros de plantão estão loucos prá saber quem são os desgraçados que maculam a imagem da profissão revelando essa maracutaia explícita e corriqueira que é o jabá.
    Não só continuarei visitando o blog como mandarei informações sobre os trens da alegria e divulgo para todos que conheço, inclusive os jabazeiros que conheço.

  29. antijabacule disse:

    Jabanunca, meu objetivo aqui é justamente mostrar (que era uma preocupação dos comentaristas desde o início) que há jornalistas e jornalistas. Os que mendigam presentes, esses sim, precisam ser separados dos que trabalham dignidade. De fato, há inquisição contra quem se recusa a receber presentes. Estes, dignos, são tirados de trouxas pelo comando dos jabazeiros.

  30. tomasturbando disse:

    vaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii tomaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa NO TEUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU CUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU VACILÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  31. Bem feito disse:

    Parabéns pela iniciativa!
    Os jornalistas irritadinhos que aparecem aqui para xingar, só mostram o quão burros são, e quão pobres são seus argumentos. Basta ler abaixo (e acima) os argumentos completamente ilógicos que eles usam e usaram para falar sobre o anônimato.
    Afinal, jornalistas aprendem o quê na faculdade? Ética, não é! Português, menos! Sobre qualquer ciência, tão pouco! Sobre lógica, filosofia, argumentação? Nem isso! Afinal, o que é a faculdade de jornalismo? Faculdade de merda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: